Nos acompanhe

Negócios

Artigo: Para que serve o DANFE se temos a NF-e?

Publicado

em

Em meus artigos, constantemente falo sobre a importância da digitalização de documentos e de como o futuro da documentação é o universo intangível do digital. Basicamente, toda transação comercial já migrou ou está em processo de migração. Não só pela praticidade em armazenamento, segurança, mas acima de tudo pela gestão. Esse é o caminho. Logo, parece uma contradição do nosso novo modelo de obrigações fiscais exigir que ainda exista um documento como o DANFE.

Para aqueles que não estão familiarizados com a sigla, DANFE significa Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica (NF-e). Ele, nada mais é do que a representação gráfica da NF-e, ou seja, é um documento de papel, que não chega a ser uma NF-e impressa, mas se aproxima bastante disso. Na verdade, ele contém apenas os dados principais da NF-e.

Por ser impresso, sua função está ligada ao transporte de cargas comercializadas e documentadas através da NF-e. O DANFE viaja com as mercadorias durante o transporte da compra do vendedor até a chegada ao cliente. Um caminhão não pode trafegar sem o DANFE. São geradas multas pesadas caso o motorista seja pego em uma fiscalização trafegando sem o documento.

Como não contém todos os dados da NF-e, o DANFE serve para facilitar o acesso aos dados principais, como a chave numérica de acesso, ou código de barras do produto, e permite que o fiscal, consultando esse número, verifique se há mesmo uma NF-e que comprove aquela transação, online. Ou seja, no fim de contas o DANFE serve à fiscalização, pois na prática não serve como nota nem para vendedor e nem para cliente.

Sendo assim, apesar da gestão ser feita de forma digital, a prática do trânsito de mercadorias precisa de uma documentação que esteja legível, à mão, independente de qualquer equipamento eletrônico e que permita fiscalização de forma rápida. A necessidade momentânea daquela situação demanda um papel.

Pode parecer um retrocesso, mas não é. O DANFE é emitido junto da NF-e, tem caráter oficial, e a consulta numérica permite que ele seja colocado à prova de fraude. Mas um motorista não poderia ter um tablet onde ele mostrasse a NF-e, por exemplo? Talvez em um futuro próximo. O caso é que não é dever do transportador manejar documentos fiscais, ou mesmo transitar com equipamentos do tipo na rodovia. Pode ser um problema em diversas instâncias.

Não falo apenas de roubos, mas a simples falta de bateria já bastaria para parar o trânsito da mercadoria. A inabilidade de um motorista ou outro em mexer no equipamento, pode ser outro fator. Nem todas as transações podem ser feitas de forma digital de maneira fácil, ainda. Talvez mais para frente haja meios. Hoje, a impressão de uma única folha é a maneira mais barata, direta e prática, sem contar que o DANFE não precisa ser usado após o transporte.

O documento pode ser usado ainda com o auxílio na escrituração contábil da transação realizada. Neste caso, o documento deve ser arquivado pelo prazo legal exigido para as notas fiscais, para ser apresentado quando solicitado. Isso em casos especiais, onde é preciso garantias de algumas transações de valores altos, por exemplo. Por último e não menos importante, o documento ainda é utilizado para colher a assinatura do cliente no ato da entrega da mercadoria ou prestação do serviço, servindo de comprovante da entrega.

Ao transitar com o DANFE, o motorista possui de maneira fácil dados referentes à saída da mercadoria, dados da transportadora e do veículo, descrição do produto, etc. A ideia é fiscalizar possíveis ilegalidades, permitindo conferência e garantindo a transação para a empresa, cliente e transportadora. O DANFE serve, sobretudo para quem fiscaliza ilegalidades, para garantir entregas e permitir facilidade do trabalho do transportador.

Talvez hajam soluções mais digitais e que mantenham praticidade e custo futuramente. Por hora, usar o DANFE é o mais prático. Importante é lembrar que as funções de DANFE e NF-e são distintas e não adianta achar que um é inútil em detrimento do outro. Cada um tem sua função e auxilia a cadeia do processo comercial.

Adão Lopes é mestre em tecnologia e negócios eletrônicos e CEO da VARITUS BRASIL.

Continue Lendo

Negócios

Confira a agenda cultural nos melhores bares e restaurantes de João Pessoa para esta semana

Publicado

em

Por

Redação do Portal da Capital

O mês do carnaval chegou e o clima de agito toma conta da cidade que já iniciou seus preparativos para a festa. Enquanto a folia não toma conta das ruas, bares e restaurantes elaboram agendas especiais para os clientes se divertirem no fim de semana com direito aos mais variados ritmos. Desde tradicionais do Carnaval, até eletrônico e Bossa Nova.

Um dos bares mais descolados de João Pessoa, o Loca Como Tu Madre, preparou uma super festa com direito a Samba, Frevo e Axé no sábado (4), mas a programação da semana começa na quinta-feira, com o DJ Lucas Gomes anima o gastrobrar a partir das 20h e Claudinha Summer (@djclaudinhasummer) faz uma prévia do carnaval na sexta-feira, também a partir das 20h.

O carnaval do Loca — que está com ingressos à venda no Sympla — começa às 16h do sábado (4) com a tradicional roda de samba de Mestre Luizinho que desta vez convida uma orquestra de frevo. A festa continua com apresentação de Gabi Blue (@agabiblue) num ritmo tipicamente carnavalesco, o axé retrô. No domingo (5) também tem programação, o Loca Burguer para quem quer encerrar bem o fim de semana.

Com mesinhas internas e externas o local oferece pratos de dar água na boca, jarras de sangria, chopp e os mais variados rótulos de vinho. De segunda a sexta-feira das 17h às 19h os preços são especiais para os pirulitos, caldinhos do dia, choripan, chicken fingers, halumi de queijo coalho, fava com camarão e pastéis. Entre as bebidas, o baldinho de cerveja com cinco pelo preço de quatro, caipirinha e caipiroska em dose dupla, bem como a sangria de 400 ml em dobro, são algumas opções. O Loca Como Tu Madre fica na rua Joaquim Avundano, 62 — Miramar. Para mais informações e reservas o instagram é @locacomotumadrejpa.

Para curtir um happy hour ou jantar com cortes selecionados de carnes nobres e hambúrgueres na parrilla, o Faaca Boteco e Parrilla separou um setlist especial com atrações que vão do sertanejo ao rock n’roll e muita interação. Na quinta-feira (2), Vitor Manoel (vitormanoelpb) com sua voz e violão passa pelo sertanejo, nova MPB e até axé retrô, para entrar no clima do carnaval. Na sexta-feira (3), Rick Wibe (@ric_wibe) volta ao palco da casa com um repertório eclético passando do rock n’roll ao samba e algumas surpresas. Val Donato (@valdonato), com sua voz inconfundível canta suas músicas autorais, grandes clássicos e até uma palhinha de reggae no sábado. Os shows começam às 19h30 e o couvert custa R$ 7,00.

Os clientes podem aproveitar as promoções do happy hour com chope em dobro, e promoção no chopp Caldereta e Caldereta Ekaut, gin, caipifruta e outros e petiscos, como o Faaquinha, pastéis de costela e camarão, tiras de frango crocante, camarão crocante, croquete, caldinho e pão de alho. De segunda a quinta, o Happy Hour do Faaca Boteco e Parrilla acontece das 18h às 20h, já na sexta, é de 15h às 19h e sábados, domingos e feriados, de 15h às 18h. Para mais informações, o site é grupofaaca.com.br e o instagram @botecofaaca.

Mais requinte – Para quem busca uma opção mais requintada, o Iocá Trattoria e Orama Rooftop, no BA’RA, trazem atrações para acompanhar o jantar com muita elegância. Todas as quartas-feiras e sábados, Adriana Cabral (@adrianacabralcantora) apresenta um repertório de muito bom gosto, para tornar a noite especial ao som de Bossa Nova, R&B, Soul e clássicos de todos os tempos, até mesmo os repaginados, como “Cold Heart” de Elton John com roupagem de Dua Lipa. A apresentação começa às 20h e os clientes podem se deliciar com a gastronomia tradicional italiana, bem como pratos autorais da chef Carol Panarotte. Bem como drinks clássicos e autorais, e uma adega com mais de 380 rótulos de vinho, incluindo o próprio da casa.

No Orama Rooftop, de frente para o mar de Cabo Branco, o DJ Bruno Martins (djbrunomartins_oficial) se apresenta às quintas e sábados. O residente da casa comanda as pick-ups com Space Age Pop, remixes e versões exclusivas. Os clientes podem acompanhar o DJ do deck, do Jardim Orama, um lounge intimista, de dentro do restaurante ou mesmo do terraço ao ar livre. O local ainda se destaca pela sua gastronomia contemporânea com toques regionais e influência francesa, italiana e brasileira. Para acompanhar as novidades, o perfil no Instagram é @barahotel Para conhecer os restaurantes do BA’RA e fazer uma reserva, os contatos são: (83) 982340-8933 e @iocarestaurante, para o Iocá. O telefone (83) 998156-3287, @oramarooftop para o Orama. As reservas para o BA’RA podem ser feitas no site: https://barahotel.com.br e pelo email [email protected].

Continue Lendo

Negócios

Justiça bloqueia contas da Braiscompany por calote em aluguel de imóvel em Brasília

Publicado

em

Por

Redação do Portal da Capital

A Braiscompany foi condenada a pagar uma dívida de R$ 144.903,06 a Leonardo Cavalcanti Prudente, filho do ex-deputado do Distrito Federal Leonardo Prudente, por aluguéis atrasados de um imóvel em Brasília. O dono Neto Ais não pagou os valores referentes ao período entre 17 de agosto e 1º de dezembro, o que, somado a uma multa de 2% prevista no contrato, gerou a dívida de mais de R$ 144 mil.

A casa alugada pela Braiscompany fica na rua SHIS QL 10, região do Lago Sul, um bairro nobre de Brasília. A decisão foi assinada pelo juiz João Batista Gonçalves da Silva, da 1ª Vara de Execução de Títulos Extrajudiciais e Conflitos Arbitrais de Brasília, no último dia 20 de janeiro.

Segundo aponta o processo, Leonardo Prudente comprou a casa em maio de 2022, quando o imóvel já estava alugado pela empresa criada por Antonio Neto Ais, que assina o contrato de aluguel.

Segundo o Portal Bitcoin, antes de ter um novo dono, o imóvel foi oferecido para compra pela Braiscompany por força de uma cláusula de direito de preferência, mas Neto Ais declinou. Ficou então acordado que passaria a pagar aluguel para o novo proprietário, sendo o valor mensal fixado em R$ 40 mil.

O juiz Batista Gonçalves determinou que a empresa seja notificada em sua sede em Campina Grande (PB) e que sejam bloqueados os depósitos bancários da companhia até a dívida ser paga. Caso não sejam encontrados valores em banco, a Justiça irá buscar imóveis e carros para penhorar e garantir o pagamento.

Como apurou o ClickPB, a Braiscompany segue atrasando pagamentos há mais de um mês. A empresa que diz ter um negócio de “aluguel de criptoativos”, tem atrasado constantemente os pagamentos aos clientes desde dezembro.

Em janeiro, cresceu o número de processos que correm no Tribunal de Justiça da Paraíba contra a financeira com sede em Campina Grande. Na maioria deles, os clientes se dizem lesados pela Braiscompany e pedem além da rescisão dos contratos, a devolução do investimento aplicado.

Continue Lendo

Negócios

Freelancer: Quais foram as áreas mais requisitadas pelas empresas em 2022?

Publicado

em

Por

Redação do Portal da Capital

De acordo com dados do BNE é possível analisar o crescimento da contratação por meio desse método de prestação de serviço profissional e sua consolidação no mercado de trabalho.

Com a pandemia no ano de 2020, várias pessoas perderam seus empregos de forma repentina e precisaram buscar alternativas rápidas para trabalho e assim continuar tendo uma renda mensal para lidar com despesas pessoais. Foi dentro desse cenário principalmente, que o formato de trabalho “freelancer” se destacou e tomou conta de um grande espaço em meio a muitas pessoas.

Mesmo no período pós pandemia, em 2022 esse formato se consolidou e continuou sendo um método de trabalho crescente, ou seja mesmo com a inconstância que esse formato pode trazer, ele ainda possui sua segurança e traz benefícios para os que utilizam dele. Segundo o Banco Nacional de Empregos (BNE) a expectativa é que isso se mantenha e aumente de acordo com a aderência a esse método das grandes empresas.

A partir dos dados coletados pelo BNE, os 10 principais setores que se destacaram em 2022 nesse meio de contratação profissional foram: Comércio; Logística; Saúde; Consultoria; Informática; Serviços Pessoais; Marketing; Imobiliária; Construção e Financeiro. Para José Tortato COO do BNE, a busca por freelancers tem se destacado cada vez mais em diversos setores. “A partir de nossos levantamentos, notamos que tem se aumentado a quantidade de setores e áreas em busca de freelancers, áreas essas que antes não se destacavam mas hoje aderiram e se adaptaram muito bem a esse formato de contratação.” explica Tortato.

Top 5 estados com maior demanda e abertura de vagas

Segundo o BNE, os principais estados são: São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.
“Com o crescimento da variedade de áreas e setores na contratação de freelancers, é possível perceber também que mais estados se destacaram e buscam esse método de prestação de serviço, tendo em vista a sua consolidação no mercado de trabalho nacional”, finaliza o COO do BNE.

BNE – Banco Nacional de Empregos

Há mais de 20 anos no mercado, o BNE é um dos sites de currículos mais importantes do Brasil. O principal objetivo é facilitar a interligação entre o empregador e empregado no mercado de trabalho de maneira rápida e eficiente. O BNE conta com mais de 135 mil empresas cadastradas, que buscam currículos diariamente e oferecem diversas novas oportunidades de trabalho todos os dias.

Continue Lendo