Nos acompanhe

Negócios

Confiança da micro e pequena empresa avança de 46,0 para 49,0 pontos em um ano

Publicado

em

A confiança dos empresários de menor porte apresentou sinais de melhora no último mês de setembro. Segundo dados apurados pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) o Indicador de Confiança dos Micro e Pequenos Empresários que atuam no ramo de comércio e serviços atingiu 49,0 pontos em setembro de 2017. Em setembro do ano passado, o indicador marcara 46,0 pontos. O dado também supera o verificado em setembro de 2015, quando se encontrava em apenas 37,6 pontos. Na comparação mensal, entre agosto e setembro deste ano, sem ajuste sazonal, também houve uma alta discreta, uma vez que o índice estava em 47,4 pontos. O indicador varia de zero a 100, sendo que quanto mais próximo de 100, mais otimistas estão os empresários.

Para o presidente da CNDL, Honório Pinheiro, os dados mostram que os empresários de menor porte estão menos pessimistas com o futuro, mas ainda em compasso de espera. “Há um otimismo comedido e moderado por parte desses empresários, que ainda não pode ser considerado satisfatório. Alguns indicadores macroeconômicos já dão sinais de melhora, mas o cenário político ainda é incerto. Isso faz com que a confiança não deslanche, mas também não retroceda a níveis de 2015, que foi um período de grave recrudescimento da crise. Diante desse cenário, a intensificação da agenda de reformas estruturais são importantes para trazer mais previsibilidade e credibilidade aos rumos da política econômica, melhorando o ambiente de negócios”, explica o presidente.

Indicador de Confiança é composto pelo Indicador de Condições Gerais e pelo Indicador de Expectativas. Por meio da avaliação das condições gerais, busca-se medir a percepção dos micro e pequenos varejistas e empresários de serviços sobre os últimos seis meses, tanto da economia quanto do seu negócio. Já através das expectativas, busca-se medir o que se espera para os próximos seis meses.

62% dos micro e pequenos empresário reconhecem que houve piora na economia nos últimos meses

Dados do Indicador de Condições Gerais do SPC Brasil e da CNDL apontam um avanço de 27,3 pontos para 33,3 pontos entre setembro deste ano e setembro do ano passado. Como o índice segue abaixo do nível neutro de 50,0 pontos, significa que para a maioria dos micro e pequenos empresários a situação econômica do país e de suas empresas não tem sido satisfatória.

Na abertura do indicador, tanto a avaliação dos últimos seis meses de seus negócios quanto para a economia, apresentaram alta em relação ao mesmo período do ano passado. No primeiro caso, passou de 30,5 pontos para 36,1 pontos na escala. Já para o desempenho recente da economia, o número aumentou de 24,0 pontos para 30,4 pontos na escala.

Para 62% dos micro e pequenos empresários o cenário econômico se deteriorou nos últimos seis meses, contra apenas 14% que visualizaram melhora. Para outros 23% o quadro não se alterou. Quando a análise se detém ao seu negócio, o índice de empresários que sentiram piora na performance de suas empresas atingiu 53% da amostra, ao passo que apenas 18% notaram alguma melhora nesse intervalo dos últimos seis meses.

Dentre os que notaram piora em suas empresas, a queda das vendas é o sintoma mais evidente, mencionada por 74% dos entrevistados. Outros 10% disseram que houve aumento dos custos.

46% estão otimistas com a economia para os próximos seis meses e 45% esperam aumento do faturamento no mesmo período

Indicador de Expectativas permaneceu praticamente estável na comparação com setembro do ano, passando de 60,0 pontos para 60,7 pontos. Na comparação com agosto deste ano houve uma pequena alta, pois o índice se encontrava em 56,5 pontos. “Esse resultado mostra que, mesmo diante de uma realidade ruim, já há algum tempo, parte significativa dos empresários entrevistados mantém a expectativa de melhora, seja com relação à própria empresa ou à economia do país”, afirma a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Quase a metade (46%) dos micro e pequenos empresários estão, de algum modo, confiantes com o futuro da economia brasileira. Quando essa análise detém apenas a realidade da sua empresa, o índice é maior e chega a 60% dos empresários consultados. O percentual de pessimistas com a economia é de 23% e de 13%, quando levado em conta a situação de seus negócios.

A confiança dos empresários no desempenho da economia, entretanto, não é explicada de forma concreta na maior parte dos casos: quase a metade (47%) desses empresáriosque se dizem confiantes para os próximos seis meses alegaram não saber a razão de seu otimismo, apenas acreditam que coisas boas irão acontecer. Essa também é a principal razão para quem está otimista com o futuro de suas empresas, com 25% de citações. Entre os que estão otimistas com a economia, há também 22% de entrevistados que observam alguns sinais de melhora no cenário macroeconômico. Entre os que vislumbram um futuro positivo para suas empresas, 24% garantem fazer uma boa gestão do negócio e 20% disseram estar investindo no negócio para enfrentar a crise.

Apesar da proximidade do período de festas, que tradicionalmente aquece o desempenho do varejo, os empresários mostram-se divididos quanto as perspectivas de ver o faturamento aumentar: 45% vislumbram melhora nas vendas para os próximos seis meses, ao passo que 42% disseram esperar estabilidade. A queda do faturamento no período é aguardada por 10% dos micro e pequenos empresários.

Metodologia

O Indicador e suas aberturas mostram que houve melhora quando os pontos estiverem acima do nível neutro de 50 pontos. Quando o indicador vier abaixo de 50, indica que houve percepção de piora por parte dos empresários. A escala do indicador varia de zero a 100. Zero indica a situação limite em que todos os entrevistados consideram que as condições gerais da economia e dos negócios “pioraram muito”; 100 indica a situação limite em que todos os entrevistados consideram que as condições gerais “melhoraram muito”.

Continue Lendo

Negócios

ParaíbaRádioBlog agora é o ‘Portal da Capital’…

Publicado

em

O ParaíbaRádioBlog, canal de notícias online que existe há cerca de dez anos… ao longo de sua história evoluiu, cresceu e mudou para melhor.

E foi pensando no profissionalismo e numa melhor experiência para os leitores e internautas que, a partir de agora, o seu canal de informações sobre a Paraíba, o Brasil e, também, negócios, se chama ‘Portal da Capital – ONDE O ESTADO SE ENCONTRA‘.

A proposta do ‘Portal da Capital‘ é a de oferecer a você melhorias na experiência do bem informar através de um Jornalismo Investigativo, bem como, da realização de Podcasts e entrevistas com os grandes nomes dos universos político e empresarial, unindo a Paraíba, do Litoral ao Sertão, trazendo, ainda, as notícias mais relevantes de Brasília, a Capital Federal, reforçando a agilidade noticiosa, sem perder o olhar crítico para manutenção da qualidade.

O ‘Portal da Capital‘ está presente nos canais mais relevantes (Facebook, Twitter e Instagram), percorrendo os melhores caminhos e comprovando dia a dia que é neste veículo online onde o acontecimento encontra notoriedade, a notícia encontra a verdade… e onde você encontra a informação!

Sejam todos muito bem-vindos a esta nova era da informação -que começa aqui!, no Portal da Capital!

 

 

Continue Lendo

Negócios

Projeto paraibano fica em 3º lugar nacional no Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora

Publicado

em

O projeto ‘InSocialTec’, aplicado de forma on-line com foco em estudantes dos últimos anos do Ensino Médio da Paraíba, foi um dos vencedores da segunda edição do Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora. O anúncio foi feito na noite dessa quinta-feira (12) durante a solenidade de premiação, realizada dentro do Congresso BETT Educar 2022, considerado um dos mais importantes eventos de educação e inovação da América Latina.

Desenvolvido por nove professores, a iniciativa tem o objetivo de aplicar uma metodologia orientada ao empreendedorismo com foco no desenvolvimento de competências na área de tecnologia. Para isso, foram envolvidos conteúdos de áreas como Design, Administração e TIC para capacitar os estudantes em tecnologia e, de quebra, ganharem uma formação empreendedora.

De acordo com o professor de Engenharia Elétrica da UFCG, Danilo Santos, que coordenou o projeto e representou a equipe de professores ao receber o prêmio, mais de 290 alunos concluíram o curso, oriundos de diferentes escolas, cidades e níveis de educação, e mais de mil foram impactados. “Estamos felizes com o reconhecimento estadual e nacional, principalmente porque vemos o empreendedorismo como ferramenta de capacitação, capaz de levar novos saberes e aprendizados aos estudantes. Além disso, comprovamos que a metodologia aplicada foi eficaz e os resultados foram ótimos”, afirmou.

Além do conteúdo didático, foi aplicada uma metodologia de imersão através do método ‘from zero to hero’, no qual os alunos foram incentivados a terem uma ideia utilizando os objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU e, em oito semanas, sair da ideia para um conceito ou protótipo funcional. O projeto foi premiado em terceiro lugar na categoria Ensino Médio.

Reconhecimento – Segundo a gerente da Unidade de Educação Empreendedora do Sebrae Paraíba, Humara Medeiros, o prêmio é importante justamente por reconhecer histórias de professores que buscam transformar a vida dos alunos por meio do empreendedorismo. “A Paraíba vem fazendo história. Novamente somos pódio na premiação e isso nos envaidece. É uma grande vitória e reconhecimento do trabalho desenvolvido, além das histórias contadas por esses professores”, avaliou.

O Sebrae, em parceria com o Ministério da Educação, reconheceu o trabalho de educadores que se destacaram na adoção de práticas e metodologias inovadoras de ensino do empreendedorismo para jovens e adolescentes. Em sua segunda edição (a primeira foi realizada em 2020), o Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora se consolida entre educadores como uma oportunidade de desafiar os alunos a enxergarem além do que se vê, com criatividade.

Criado com o objetivo de reconhecer professores de todo o Brasil que incentivem experiências, práticas e iniciativas empreendedoras entre os alunos, o Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora é dividido em cinco categorias: Ensino Fundamental – Anos Iniciais, Ensino Fundamental – Anos Finais, Ensino Médio, Educação Profissional e Educação Superior. Os projetos são classificados por nível – ouro, prata e bronze. No total, foram inscritas cerca de 700 iniciativas.

Sebrae 50+50 – Em 2022, o Sebrae faz 50 anos, depois de percorrer uma história que se confunde integralmente com a evolução dos pequenos negócios no Brasil durante meio século. Para celebrar a data, a instituição realiza a campanha 50+50, em comemoração aos 50 anos e preparação para os próximos 50, na busca de, cada vez mais, fazer o Sebrae que o Brasil precisa e de ser a força do empreendedor brasileiro. Para mais informações, acesse o site www.sebrae.com.br/50mais50.

Continue Lendo

Negócios

Inep e MEC divulgam tendência de procura por EAD e instituição criada na Paraíba é destaque

Publicado

em

Pela primeira vez, o Brasil registrou preferência por cursos a distância. A tendência havia sido prevista, ainda em 2019, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep), juntamente com o Ministério da Educação (MEC). Segundo os órgãos, 3,7 milhões de estudantes ingressaram no ensino superior em 2020 e mais de 2 milhões (correspondentes de 53,4% do total) optaram pela metodologia EaD.

Diante dessa nova realidade, é natural que surjam, cada vez mais, instituições focadas na modalidade a distância, conhecidas como ‘Edtechs’. Tratam-se de empresas que usam tecnologia para criar soluções inovadoras na área da educação. No Nordeste, por exemplo, o Grupo Nexus vem se consolidando como um dos maiores da região. “Com oferta de vários cursos, nosso grupo passou a se configurar como o maior em se tratando de empresas e serviços educacionais. Com origem na Paraíba, hoje a empresa é destaque nacional e até internacional, o que nos enche de orgulho”, declarou o CEO do grupo, Alcimar Martins.

Ele destaca que o grupo não trabalha apenas com graduação, mas também com pós-graduação, Educação de Jovens e Adultos (EJA), cursos profissionalizantes e técnicos, por meio de parceria com a instituição internacional Enber University, dos Estados Unidos. Mais de 500 alunos estão fazendo as suas pós internacionais de maneira remota, pela Enber University e a Educa Nexus já conta com mais de 4 mil novos alunos, só no ano de 2022. Na parte de ensino técnico o Educa Nexus trabalha com mais de 20 cursos nas mais diversas áreas, como: Contabilidade, Administração, Edificações, Computação Gráfica, Eletrônica, Eletrotécnica, Marketing, Mecânica, entre outros.

“Não dá para deixar as oportunidades passarem por falta de qualificação acadêmica e na Educa Nexus, você pode pode fazer isso direto da sua casa”, finaliza Alcimar.

Continue Lendo