Nos acompanhe

Negócios

75% dos brasileiros devem ir às compras no Dia das Crianças; gasto médio será R$ 194

Publicado

em

A expectativa de consumo para o Dia das Crianças deste ano reforça a tendência de uma recuperação lenta e gradual da economia brasileira. Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em todas as capitais aponta que 75% dos brasileiros devem ir às compras no Dia das Crianças de 2017, percentual que se mantém elevado em todos os estratos sociais e sobe para 89% entre entrevistados das classes A e B. No ano passado, 70% dos brasileiros haviam realizado alguma aquisição na data.

Se por um lado, a alta intenção de presentear anima o mercado varejista, por outro, a expectativa de gasto do consumidor deve ficar ligeiramente contida e a plena retomada ainda é precedida de ponderação. De acordo com o levantamento, quase um terço (32%) dos entrevistados que vão comprar presentes pretende gastar o mesmo valor que no ano passado e 27% têm a intenção de gastar menos. Uma proporção de apenas 17% afirma que vai gastar mais em 2017 do que em 2016.

No total, o consumidor deve desembolsar R$ 194 com os presentes, sendo que mais da metade (55%) ainda não sabe o quanto será gasto na data. A maioria pagará os produtos à vista (61%) e vai comprar apenas um presente (44%). O cartão de crédito será opção de 21% dos consumidores. Para a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, “o pagamento integral no momento da compra pode ser importante para o orçamento em um momento em que o desemprego segue elevado e o consumidor deve evitar compromissos financeiros de longo prazo”, afirma.

O SPC Brasil e a CNDL estimam que somente neste ano, o Dia das Crianças deve movimentar aproximadamente R$ 9,7 bilhões no comercio. A data representa a última festa comemorativa antes do Natal e, por isso, dá ao mercado de consumo as primeiras impressões de como será o desempenho das vendas no final do ano.

“As expectativas para o Dia das Crianças são um alento para o fim de ano porque podem sinalizar um Natal mais auspicioso que em anos anteriores, que foram os piores já vistos em muitos anos. Hoje, os juros estão mais baixos, o mercado de trabalho dá mostras de uma leve recuperação e até mesmo o consumo das famílias aos poucos está sendo reativado”, explica o presidente da CNDL, Honório Pinheiro.

Economizar é razão para 34% dos que vão frear gastos na data; para 55% presentes estão mais caros do que em 2016

De acordo com a pesquisa, as dificuldades impostas pela crise estão as principais razões para aqueles que se planejam para gastar menos. Mais de um quarto (34%) desses entrevistados vão frear o consumo porque precisam economizar.

Outras razões são as dificuldades no orçamento (32%), o aumento dos preços e a economia do país ainda instável (21%), a escolha por comprar menos presentes (12%) e ter de priorizar outros tipos de compras (11%). Há ainda 10% que se veem impossibilitados de comprar presentes porque tiveram redução salarial e 6% estão desempregados. Dentre a parcela minoritária de entrevistados que irá gastar mais, 38% alegam que vão comprar um presente melhor.

Mesmo com a inflação mais comedida que em tempos recentes, a maioria dos consumidores (55%) acredita que os preços dos presentes estão mais caros em 2017 do que em 2016 e o principal culpado, na avaliação desses entrevistados, é a crise econômica, mencionada por 71% deles. Outros 27% avaliam que os preços estão na mesma faixa e somente 5% julgam estar mais baratos.

25% vão comprar presentes mesmo com o nome sujo; 77% vão recorrer à pesquisa de preço

A pesquisa revela ainda que muitos dos compradores estão com orçamento apertado. Três em cada dez (27%) consumidores que têm a intenção de comprar
presentes neste ano possuem ao menos uma conta em atraso e 25% se encontram com o nome negativado em entidades de proteção ao crédito. Perguntados se deixarão de pagar alguma conta para presentear, 8% dos entrevistados disseram que sim e 13% reconhecem ter o hábito de extrapolar o orçamento na hora de agradar o filho no Dia das Crianças, comprando produtos e quantidade de presentes acima de suas condições. Ainda que esse comportamento impulsivo seja bastante presente, a maioria (77%) dos entrevistados pretende fazer pesquisa de preço antes de adquirir os produtos, seja diretamente nas lojas (66%) ou usando a internet como um aliado (12%).

A economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, alerta que mesmo em datas comemorativas, os consumidores só devem ir às compras se o orçamento permitir e não possuir contas em atraso. “Para quem está inadimplente, mesmo que os valores possam parecer inofensivos, todo esforço deve ser direcionado ao pagamento das dívidas. Já para quem está com as contas em dia, a palavra de ordem é planejar os gastos, pesquisa preços e pagar à vista”, orienta.

Para a 89%, publicidade exerce influência sobre as crianças na escolha do presente; crianças participam da decisão da compra em 41% dos casos

Outra constatação da pesquisa é que as crianças são fortemente impactadas pelos apelos da publicidade em datas como essa. Nove em cada dez (89%) entrevistados acreditam no poder da publicidade infantil em influenciar as crianças a pedir presentes. Perguntados se outras crianças, como colegas de escola, vizinhos e parentes também são capazes de influenciar na escolha do presente, 87% também responderam que sim.

O estudo revela, contudo, que apesar dessas influencias, são os adultos que, na maior parte das vezes, tomam as rédeas na hora de escolher o que a criança vai ganhar. Quatro em cada dez (43%) entrevistados escolhem sozinhos o presente que vão dar, sobretudo as mulheres (52%) e os consumidores das classes C (45%). A decisão conjunta entre os adultos e as crianças é realizada por 27% da amostra. Em menor proporção, 15% deixam o filho escolher o que vai ganhar por contra própria. De acordo com o levantamento, 24% dos entrevistados irão acompanhados das crianças no momento de realizar as compras na data e 25% cedem as pressões dos filhos.

19% vão dividir a compra dos presentes com outra pessoa; ao contrário de outras datas, lojas de rua aparecem à frente dos shoppings

O ranking de presenteados deste ano não poderia ser diferente: os filhos aparecem em primeiro lugar, com 48% de menções. Mas ainda haverá espaço para os netos (25%), sobrinhos (19%) e afilhados (10%). Há ainda 2% de consumidores que vão presentear crianças órfãs ou de abrigos e instituições de caridade.

A maior parte (74%) dos entrevistados afirma que vai pagar o presente sozinho, mas 19% vão dividir o valor total com outras pessoas, principalmente o cônjuge (13%). A estratégia é usada como forma de diminuir os gastos (32%) e viabilizar a aquisição de um presente mais caro (23%).

Na hora de agradar as crianças, os produtos mais procurados serão os bonecos e bonecas (31%), roupas e calçados (22%), aviões e carrinhos (9%), jogos educativos e de tabuleiro (8%), bicicletas, skate e patinetes (5%), bolas (5%) e doces (3%). Presentes mais caros como videogames, por exemplo, serão adquiridos por apenas 2% da amostra.

Neste ano, as lojas de rua (26%) aparecem à frente dos shopping centers (23%), que geralmente são os primeiros colocados na preferência por locais de compras. Em terceiro lugar se posicionam as lojas de departamento, com 12% de citações. Segundo os entrevistados, os fatores que mais influenciam a escolha do local de compra são o preço (61%), a qualidade do produto (36%) e a diversidade das opções ofertadas (29%).

Continue Lendo

Negócios

ParaíbaRádioBlog agora é o ‘Portal da Capital’…

Publicado

em

O ParaíbaRádioBlog, canal de notícias online que existe há cerca de dez anos… ao longo de sua história evoluiu, cresceu e mudou para melhor.

E foi pensando no profissionalismo e numa melhor experiência para os leitores e internautas que, a partir de agora, o seu canal de informações sobre a Paraíba, o Brasil e, também, negócios, se chama ‘Portal da Capital – ONDE O ESTADO SE ENCONTRA‘.

A proposta do ‘Portal da Capital‘ é a de oferecer a você melhorias na experiência do bem informar através de um Jornalismo Investigativo, bem como, da realização de Podcasts e entrevistas com os grandes nomes dos universos político e empresarial, unindo a Paraíba, do Litoral ao Sertão, trazendo, ainda, as notícias mais relevantes de Brasília, a Capital Federal, reforçando a agilidade noticiosa, sem perder o olhar crítico para manutenção da qualidade.

O ‘Portal da Capital‘ está presente nos canais mais relevantes (Facebook, Twitter e Instagram), percorrendo os melhores caminhos e comprovando dia a dia que é neste veículo online onde o acontecimento encontra notoriedade, a notícia encontra a verdade… e onde você encontra a informação!

Sejam todos muito bem-vindos a esta nova era da informação -que começa aqui!, no Portal da Capital!

 

 

Continue Lendo

Negócios

Projeto paraibano fica em 3º lugar nacional no Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora

Publicado

em

O projeto ‘InSocialTec’, aplicado de forma on-line com foco em estudantes dos últimos anos do Ensino Médio da Paraíba, foi um dos vencedores da segunda edição do Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora. O anúncio foi feito na noite dessa quinta-feira (12) durante a solenidade de premiação, realizada dentro do Congresso BETT Educar 2022, considerado um dos mais importantes eventos de educação e inovação da América Latina.

Desenvolvido por nove professores, a iniciativa tem o objetivo de aplicar uma metodologia orientada ao empreendedorismo com foco no desenvolvimento de competências na área de tecnologia. Para isso, foram envolvidos conteúdos de áreas como Design, Administração e TIC para capacitar os estudantes em tecnologia e, de quebra, ganharem uma formação empreendedora.

De acordo com o professor de Engenharia Elétrica da UFCG, Danilo Santos, que coordenou o projeto e representou a equipe de professores ao receber o prêmio, mais de 290 alunos concluíram o curso, oriundos de diferentes escolas, cidades e níveis de educação, e mais de mil foram impactados. “Estamos felizes com o reconhecimento estadual e nacional, principalmente porque vemos o empreendedorismo como ferramenta de capacitação, capaz de levar novos saberes e aprendizados aos estudantes. Além disso, comprovamos que a metodologia aplicada foi eficaz e os resultados foram ótimos”, afirmou.

Além do conteúdo didático, foi aplicada uma metodologia de imersão através do método ‘from zero to hero’, no qual os alunos foram incentivados a terem uma ideia utilizando os objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU e, em oito semanas, sair da ideia para um conceito ou protótipo funcional. O projeto foi premiado em terceiro lugar na categoria Ensino Médio.

Reconhecimento – Segundo a gerente da Unidade de Educação Empreendedora do Sebrae Paraíba, Humara Medeiros, o prêmio é importante justamente por reconhecer histórias de professores que buscam transformar a vida dos alunos por meio do empreendedorismo. “A Paraíba vem fazendo história. Novamente somos pódio na premiação e isso nos envaidece. É uma grande vitória e reconhecimento do trabalho desenvolvido, além das histórias contadas por esses professores”, avaliou.

O Sebrae, em parceria com o Ministério da Educação, reconheceu o trabalho de educadores que se destacaram na adoção de práticas e metodologias inovadoras de ensino do empreendedorismo para jovens e adolescentes. Em sua segunda edição (a primeira foi realizada em 2020), o Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora se consolida entre educadores como uma oportunidade de desafiar os alunos a enxergarem além do que se vê, com criatividade.

Criado com o objetivo de reconhecer professores de todo o Brasil que incentivem experiências, práticas e iniciativas empreendedoras entre os alunos, o Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora é dividido em cinco categorias: Ensino Fundamental – Anos Iniciais, Ensino Fundamental – Anos Finais, Ensino Médio, Educação Profissional e Educação Superior. Os projetos são classificados por nível – ouro, prata e bronze. No total, foram inscritas cerca de 700 iniciativas.

Sebrae 50+50 – Em 2022, o Sebrae faz 50 anos, depois de percorrer uma história que se confunde integralmente com a evolução dos pequenos negócios no Brasil durante meio século. Para celebrar a data, a instituição realiza a campanha 50+50, em comemoração aos 50 anos e preparação para os próximos 50, na busca de, cada vez mais, fazer o Sebrae que o Brasil precisa e de ser a força do empreendedor brasileiro. Para mais informações, acesse o site www.sebrae.com.br/50mais50.

Continue Lendo

Negócios

Inep e MEC divulgam tendência de procura por EAD e instituição criada na Paraíba é destaque

Publicado

em

Pela primeira vez, o Brasil registrou preferência por cursos a distância. A tendência havia sido prevista, ainda em 2019, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep), juntamente com o Ministério da Educação (MEC). Segundo os órgãos, 3,7 milhões de estudantes ingressaram no ensino superior em 2020 e mais de 2 milhões (correspondentes de 53,4% do total) optaram pela metodologia EaD.

Diante dessa nova realidade, é natural que surjam, cada vez mais, instituições focadas na modalidade a distância, conhecidas como ‘Edtechs’. Tratam-se de empresas que usam tecnologia para criar soluções inovadoras na área da educação. No Nordeste, por exemplo, o Grupo Nexus vem se consolidando como um dos maiores da região. “Com oferta de vários cursos, nosso grupo passou a se configurar como o maior em se tratando de empresas e serviços educacionais. Com origem na Paraíba, hoje a empresa é destaque nacional e até internacional, o que nos enche de orgulho”, declarou o CEO do grupo, Alcimar Martins.

Ele destaca que o grupo não trabalha apenas com graduação, mas também com pós-graduação, Educação de Jovens e Adultos (EJA), cursos profissionalizantes e técnicos, por meio de parceria com a instituição internacional Enber University, dos Estados Unidos. Mais de 500 alunos estão fazendo as suas pós internacionais de maneira remota, pela Enber University e a Educa Nexus já conta com mais de 4 mil novos alunos, só no ano de 2022. Na parte de ensino técnico o Educa Nexus trabalha com mais de 20 cursos nas mais diversas áreas, como: Contabilidade, Administração, Edificações, Computação Gráfica, Eletrônica, Eletrotécnica, Marketing, Mecânica, entre outros.

“Não dá para deixar as oportunidades passarem por falta de qualificação acadêmica e na Educa Nexus, você pode pode fazer isso direto da sua casa”, finaliza Alcimar.

Continue Lendo