Nos acompanhe

Paraíba

Após vacinada, Pollyanna Dutra volta ao plenário da ALPB e faz alerta sobre câncer de mama

Publicado

em

“Como mulher, não posso vir à Tribuna da Assembleia Legislativa da Paraíba neste mês e falar sobre outro assunto que não seja o ‘Outubro Rosa’. Volto a este plenário com muita honra, após mais de um ano e sete meses distante, para destacar a importância de alertarmos e lutarmos pelas vidas das nossas mulheres”. Com essas palavras, a deputada Pollyanna Dutra abriu seu discurso de volta ao plenário da Assembleia Legislativa da Paraíba. A parlamentar tomou a segunda dose da vacina contra a Covid-19 na última sexta-feira (15), o que permitiu sua volta, segundo a Resolução da ALPB, nesta terça-feira (19).

Conforme dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), estima-se 1.120 novos casos de câncer de mama na Paraíba somente no ano de 2021. De acordo com informações da Secretaria de Estado da Saúde (SES-PB), 186 mulheres já morreram em 2021 devido ao câncer de mama. Entre 2019 e 2020, foram registrados 603 óbitos para o câncer de mama na Paraíba, sendo 308 óbitos registrados em 2019 e 295 em 2020. Outro dado alarmante diz respeito à realização de mamografias. Conforme a SES-PB, entre os anos de 2019 e 2020, foram realizadas 8.300 mamografias (sendo 4800 em 2019 e 3500 em 2020). Em 2021, por sua vez, apenas 2.000 mamografias foram realizadas, uma queda de mais de 50% em relação aos anos anteriores, reflexo da pandemia da Covid-19.

Apesar destacar os intensos trabalhos remotos realizados durante quase dois anos de pandemia, Pollyanna Dutra reiterou que não é momento de relaxar, mas sim de voltar o olhar para as questões que foram negligenciadas nesse período, a exemplo da diminuição do rastreamento dos casos de câncer de mama. “Enfrentamos diversos problemas durante essa pandemia, que chegam muito perto de nós, desigualdades que afastaram as pessoas dos seus direitos. Um dos problemas que destacamos é a negligência quanto ao tratamento do câncer. Por medo, alguns pacientes interromperam seus tratamentos ou, pelo difícil acesso, não fizeram o rastreio da doença, visto que os hospitais estavam focados na pandemia. Com isso, agora muitos chegam ao serviço em fase agressiva da doença, muitas vezes em fase terminal”, alertou.

Para Pollyanna Dutra, esse alerta é mais do que necessário: é urgente, sobretudo observando as chances de cura após um diagnóstico precoce. “Voltamos para a Casa com esse alerta às nossas mulheres para que façam o diagnóstico e iniciem o tratamento o quanto antes. Se for diagnosticado precocemente, o câncer de mama tem mais de 90% de chance de cura. Não podemos perder nossas mulheres, nossas jovens, nossas mães, para esse mal que assola a saúde das mulheres. Fica o alerta às mulheres do nosso estado para que se cuidem”, arrematou a parlamentar.

Serviços de prevenção na PB
A deputada reiterou, ainda, que, na Paraíba, o Centro Especializado de Diagnóstico do Câncer (CEDC) é o Serviço de Referência Estadual para o diagnóstico precoce do câncer de mama e colo uterino. Em um único local, a mulher tem a oportunidade de realizar todos os exames para o diagnóstico. Por meio dele, é oportunizada às mulheres paraibanas a cura do câncer mamário, uma vez que, detectando precocemente a lesão, a chance de cura é de mais de 90%.

 

Continue Lendo

Paraíba

Bruno revela como será o novo sistema de transporte coletivo, após quase 40 anos do modelo vigente

Publicado

em

Após falar no Programa Ideia Livre, exibido na noite desta terça-feira, 17, sobre a superação da recente crise dos transportes coletivos para áreas distritais, o prefeito Bruno Cunha Lima informou que uma das prioridades da sua gestão, além da saúde, é o setor de transporte público. Nesse sentido, a preparação de um grande projeto que mudará a realidade local neste segmento está permanentemente em seu radar de administrador.

Bruno lembrou que a cidade conta com um sistema de quatro décadas, que não conseguiu acompanhar o desenvolvimento de Campina Grande. “A cidade assistiu ao surgimento de novos bairros. A solução foi “esticar” linhas, além da adoção de outras soluções pontuais que apenas transformaram o sistema numa verdadeira colcha de retalhos”, lamentou.

Diante desta realidade, garantiu que, em breve, será revelado à população um novo projeto para o setor, que contará com linhas principais percorrendo os maiores corredores e vias urbanas, a exemplo das Avenidas Floriano Peixoto e Almeida Barreto, no sentido bairro-centro e vice-versa.

“Serão cinco ou seis linhas principais. Também teremos linhas circulares, que vão permitir ao cidadão sair de bairro a bairro, além de linhas alimentadoras, dentro dos bairros. Os ônibus, inclusive, passarão em média a cada 10 minutos nas paradas dos coletivos”, explicou o prefeito.

Bruno ainda reforçou o seu interesse em dotar Campina Grande de novos modais de transportes, destacando, por exemplo, a necessidade do uso da malha ferroviária local. Ele, inclusive, esteve em Santos (SP) conhecendo um projeto piloto, onde a população desfruta do chamado VLT (veículos sobre trilhos). O investimento na cidade paulista superou a marca de R$ 1 bilhão.

Este tipo de projeto, quando for executado em Campina Grande, passará, inclusive, pela recuperação das antigas instalações da Estação Nova (entre os bairros de São José, Liberdade e Quarenta), mas o prefeito também pontuou ser fundamental a conquista de volumosa soma de recursos para a execução desta iniciativa. Outro desafio será a integração dos modais de trens e ônibus para que nenhum segmento do setor de transportes seja prejudicado.

Continue Lendo

Paraíba

Cabo Gilberto volta a solicitar fim do ‘Passaporte da Vacina’ e da vacinação obrigatória na PB

Publicado

em

O deputado Cabo Gilberto Silva (PL), bolsonarista e líder da bancada de oposição ao Governo do Estado, utilizou o plenário da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) para solicitar a “derrubada” do Passaporte da Vacina em território paraibano.

O pronunciamento do parlamentar foi registrado na terça-feira (12) e, na ocasião, afirmou que tem recebido muitas reclamações de pessoas que estariam sendo barradas em locais como o Detran-PB (Departamento Estadual de Trânsito da Paraíba) por não estarem usando máscaras como forma de proteção contra o vírus da Covid-19.

Cabo Gilberto lamentou ter feito a mesma solicitação, bem como, o pedido de revogação da obrigatoriedade da vacina em território estadual, por diversas vezes, e ter tido suas proposituras negadas pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ).

Continue Lendo

Paraíba

Perícia do MPF constata esgoto e falta de manutenção em canais no Eixo Leste da transposição

Publicado

em

Nestas segunda (16) e terça-feira (17), o Ministério Público Federal (MPF) realizou perícia no Projeto de Integração do São Francisco (Pisf), Eixo Leste, Meta 3L, e constatou, além de lançamento de efluentes, falta de manutenção em canais de águas de chuvas que vão para o rio Paraíba. A perícia também constatou assoreamento e deterioração no canal de drenagem de águas superficiais, que fica ao lado do canal que abriga as águas da transposição do rio São Francisco, e serve para reduzir os impactos das chuvas. A inspeção, realizada no município de Monteiro, na região do Cariri paraibano, até a divisa com Sertânia, em Pernambuco, foi coordenada pelo engenheiro civil do MPF na Paraíba, com apoio de técnicos de Segurança Institucional e Assessoria de Comunicação do órgão.

Outros problemas constatados pelo Setor Pericial do Ministério Público Federal foram pontos de erosão em canais pluviais e no canal da transposição, bem como mato e sujeira no enrocamento, ficando clara a falta de manutenção da obra do Pisf.

Residências financiadas pela Caixa jogam esgoto – Durante a perícia, os técnicos constataram que várias casas da Rua Antônio Saturno Bezerra, financiadas pela Caixa Econômica Federal, foram entregues, recentemente, com fossas fora de padrão normativo, o que faz com que elas estourem e que esgoto seja lançado no canal pluvial e rio Paraíba (na desembocadura da transposição), que ficam próximos à rua.

Problema antigo – Assim como afirmou na semana passada, quando foi realizada primeira diligência no Pisf na região de Monteiro em 2022, a procuradora da República Janaina Andrade avalia que “não há devida atenção com a obra, que teve um elevado dano ambiental, no aspecto social e natural, além do grande dispêndio de recursos públicos (aproximadamente R$ 15 bilhões)”.

Ela lembra que desde quando a transposição obteve a licença para operar (Licença de Operação nº 1464/2018), o problema do esgotamento sanitário em Monteiro, tido como uma das obras complementares ao Pisf, não foi solucionado. Reforçou ainda que o esgotamento é pré-requisito (condicionante) para a transposição e que, passados cinco anos da inauguração, no município de Monteiro, porta de entrada das águas do Pisf na Paraíba, não há conclusão do esgotamento sanitário. “Isso pode interferir na operação comercial do Projeto de Integração do São Francisco”, alertou a procuradora.

Informação técnica de 2019

Relatório de inspeção – O Setor Pericial do MPF está elaborando uma informação técnica detalhada acerca da perícia realizada nesses dois dias, para remeter à Procuradoria da República em Monteiro. O novo relatório será encaminhado à Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), à Prefeitura Municipal de Monteiro, ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), ao Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e à Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), bem como ao secretário estadual de Infraestrutura, dos Recursos Hídricos e do Meio Ambiente e ao governador do estado.

A procuradora Janaina Andrade adiantou que pretende marcar, juntamente com o Ministério Público da Paraíba (MPPB), em breve, reunião com todos os órgãos responsáveis para a construção urgente de providências, antes de adoção de medidas judiciais.

Clique aqui e confira fotos da inspeção

Vídeos da inspeção:

Esgoto doméstico lançado em canal pluvial indo para o Rio Paraíba, em Monteiro 

Esgoto de casas indo para desembocadura da transposição do São Francisco em Monteiro
Esgoto indo em direção ao Rio Paraíba em Monteiro
Falta de manutenção em canais pluviais de Monteiro

Continue Lendo