Nos acompanhe

Brasil

Brasil recebe primeiro lote de vacinas contra covid-19 para crianças

Publicado

em
Chegaram ao Brasil, às 4h45 desta quinta-feira (13), as primeiras vacinas contra covid-19 destinadas a crianças de 5 a 11 anos. Remessa com 1,2 milhão de doses do imunizante da Pfizer foi descarregada no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (São Paulo).
De acordo com a matéria originalmente postada pela Agência Brasil, o lote será distribuído a Estados e Municípios para iniciar a aplicação. A previsão é que o Brasil receba em janeiro um total de 4,3 milhões de doses da vacina. A remessa é a primeira de três que serão enviadas ao país.
Segundo o Ministério da Saúde, durante o primeiro trimestre devem chegar ao Brasil quase 20 milhões de doses pediátricas, destinadas ao público-alvo de 20,5 milhões de crianças. Em fevereiro, a previsão é que sejam entregues mais 7,2 milhões, e em março, 8,4 milhões.
Na semana passada, o ministério anunciou a inclusão dos imunizantes pediátricos no plano de operacionalização do Programa Nacional de Imunizações (PNI).
Segundo a pasta, a criança deve ir aos postos de vacinação acompanhada dos pais ou responsáveis ou levar uma autorização por escrito. O esquema vacinal será de duas doses, com intervalo de oito semanas entre as aplicações.
A distribuição será feita na seguinte proporção (confira o percentual da população de 5 a 11 anos por estado):
Região Centro-Oeste (8,17%)
Distrito Federal – 1,30%

Goiás – 3,55%

Mato Grosso do Sul – 1,47%

Mato Grosso – 1,85%

Região Sudeste (39,18%)

Espírito Santo – 1,93%

Minas Gerais – 9,02%

Rio de Janeiro – 7,49%

São Paulo – 20,73%

Região Sul (13,17%)

Paraná – 5,25%

Rio Grande do Sul – 4,73%

Santa Catarina – 3,19%

Região Nordeste (28,43%)

Alagoas – 1,77%

Bahia – 7,07%

Ceará – 4,42%

Maranhão – 4,02%

Paraíba – 1,89%

Pernambuco – 4,80%

Piauí – 1,62%

Rio Grande do Norte – 1,67%

Sergipe – 1,17%

Região Norte (11,05%)

Acre – 0,57%

Amazonas – 2,77%

Amapá – 0,55%

Pará – 4,99%

Rondônia – 0,93%

Roraima – 0,38%

Tocantins – 0,86%

Continue Lendo

Brasil

Executiva nacional do PSDB libera diretórios estaduais para decidirem sobre aliança presidencial

Publicado

em

Por

Redação do Portal da Capital

Na tarde desta terça-feira (04/10), o Diretório Nacional do PSDB emitiu nota comunicando que os Diretórios Estaduais terão autonomia para decidir quem irão apoiar na disputa presidencial do segundo turno. Na nota, o partido destaca que todos os filiados estão livres para fazerem suas escolhas.

Em decisão divulgada por meio de redes sociais, o partido em âmbito nacional decidiu pelo não posicionamento sobre as candidaturas do presidente Jair Bolsonaro ou do ex-presidente Lula. “A Executiva  Nacional do PSDB, na tarde desta terça-feira, decidiu liberar os diretórios estaduais e filiados no segundo turno das eleições presidenciais”, diz o comunicado.

Confira publicação

Continue Lendo

Brasil

Ciro Gomes grava vídeo, anuncia apoio, mas não pede voto em Lula

Publicado

em

Por

Redação do Portal da Capital

O ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT) anunciou nesta terça (4) apoio à candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no segundo turno das eleições para a Presidência da República.

O anúncio foi feito por meio das redes sociais de Ciro Gomes menos de uma hora após anúncio do PDT (Partido Democrático Trabalhista) a Lula.

Ciro Gomes evitou citar o nome de Lula, afirmando que “acompanha a decisão do partido”. O anúncio foi feito menos de uma hora após o PDT declarar apoio a Lula em decisão unânime pelo diretório nacional da sigla.

Ciro diz ainda que “frente às circunstâncias”, o apoio a Lula era a “última saída”. “Lamento que a trilha democrática tenha se afunilado a tal ponto que reste para os brasileiros duas opções ao meu ver insatisfatórias.”

Apesar de citar piora na “trilha democrática”, Ciro diz não acreditar que a democracia esteja em risco nessas eleições, mas pondera sobre o que classifica como “absoluto fracasso na nossa democracia em construir um ambiente de oportunidades que enfrente a mais massiva crise social e econômica que humilha a esmagadora maioria do nosso povo”.

‘Não aceitarei qualquer cargo’

Ciro disse também que manifestar o apoio sem pedir cargo em troca. “Adianto que não pleiteio e não aceitarei qualquer cargo em eventual futuro governo. Quero estar livre ao lado da sociedade, em especial da juventude, lutando por transformações profundas, como as que propusemos durante a campanha”, afirmou.

“Ao povo brasileiro me dirijo: fiquem certo de que, como sempre fiz, vou fiscalizar acompanhar de perto o dia a dia do governo que assumirá o governo em janeiro. Assim como vou seguir estudando e apresentando ideias para o nosso país”, finalizou Ciro Gomes.

O candidato do PDT foi o quarto candidato mais votado no primeiro turno das eleições 2022, com 3.599.287 votos, equivalente a 3,04%.

Lula e Jair Bolsonaro obtiveram respectivamente 48,43% e 43,20% dos votos válidos e disputam a eleição no segundo turno.

O pedetista não pede votos a Lula nem cita o petista no vídeo. Confira:

 

Continue Lendo

Brasil

Candidata a deputada recebe apenas um voto em SP: “Somente o meu”

Publicado

em

Por

Redação do Portal da Capital

“É frustrante”, desabafou Thamires Oliveira, candidata a deputada estadual pelo partido Agir, em São Paulo, que recebeu apenas o próprio voto no primeiro turno da eleição. A vendedora, de 33 anos, diz que fez campanha, mas não teve êxito.

“Fiz campanha, fiz reunião, fiz tudo. Mas, infelizmente, o voto não entrou. Somente o meu”, lamentou Thamires.

De acordo com esta matéria publicada pelo Metrópoles, a candidata chegou a contratar pessoas para trabalhar nas ruas, mas a estratégia falhou.

“Recebi R$ 5 mil uma semana antes da votação. O partido em si não deu nenhuma assistência. Tenho até alguns amigos que se candidataram também. Não tinha muito o que fazer e voluntariamente ninguém quer trabalhar”, afirmou ao portal G1.

A candidata contratou duas pessoas e montou uma pequena equipe para atuar na região em que mora. O trabalho foi “de porta em porta”, mas não fluiu como a vendedora esperava.

“Não tive nada de voto. É vergonhoso. Meus familiares estavam com outras pessoas”, contou Thamires.

Continue Lendo