Nos acompanhe

Paraíba

Chapas ao governo da Paraíba divergem das alianças presidenciais

Publicado

em

As alianças entre os partidos na disputa ao governo da Paraíba contrariam as chapas montadas na concorrência à presidência da República para as Eleições 2022. A situação que se reproduz em quase todas as 12 chapas presidenciais ao analisar o cenário nacional, conforme matéria do g1.

As candidaturas ao Palácio do Planalto têm participação oficial de 25 das 32 legendas registradas no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Das candidaturas aprovadas em convenção partidária na corrida presidencial, entretanto, seis candidatos à presidência tem problemas com os arranjos feitos pelas lideranças que estão na disputa majoritária (ao governo e ao Senado) na Paraíba.

As informações foram obtidas junto aos próprios partidos e nas atas das convenções entregues à Justiça Eleitoral e levam em conta tanto as alianças formalizadas em coligações quanto apoios declarados até este sábado (13), destaca publicação do Jornal da Paraíba.

Veja a situação das principais candidaturas à Presidência apoiadas na Paraíba, em ordem alfabética:

Ciro Gomes (PDT)

O ex-ministro da Fazenda e ex-governador do Ceará Ciro Gomes está na sua quarta tentativa ao Palácio do Planalto, desta vez numa chapa pura: ele terá como vice Ana Paula Matos (PDT), atual vice-prefeita de Salvador.

Na Paraíba, o PDT convencionou apoio ao deputado Pedro Cunha Lima (PSDB) ao governo, que terá o deputado Efraim Filho ao Senado, e, ao mesmo tempo, anunciou a candidatura avulsa do advogado André Ribeiro ao Senado. A participação na coligação tucana já foi registrada no sistema do TRE-PB, mas a candidatura de André, até às 12h deste sábado (13) não havia sido efetivada.

Outro personagem que se confronta com os planos nacionais é a vice-governadora Lígia Feliciano (PDT) que vai apoiar o governador João Azevêdo (PSB) em seu projeto à reeleição, embora o partido esteja com Pedro.

Jair Bolsonaro (PL)

Candidato à reeleição pelo PL, Jair Bolsonaro faz parte de uma coligação nacional composta também pelo PP e Republicanos. Ele tem como vice o general Walter Braga Netto (PL).

Na Paraíba, o partido terá uma candidatura totalmente ‘puro-sangue’ com o comunicador Nilvan Ferreira como candidato ao governo e Bruno Roberto ao Senado.

A chapa bolsonarista, no entanto, não terá o apoio dos partidos coligados com a chapa presidencial. O Progressistas indicou o Lucas Ribeiro como vice na chapa de João Azevêdo. O vice-prefeito de Campina Grande, inclusive, esboçou voto em Lula esta semana; e o Republicanos, que também compõem o arco de aliança do socialista.

Léo Péricles (UP)

O Unidade Popular (UP) escolheu o presidente da sigla, Léo Péricles, para disputar a primeira eleição presidencial do partido. Samara Martins será a candidata a vice-presidente. O UP não terá aliados nacionalmente.

Na Paraíba, o partido está compondo com PSOL na disputa ao governo. Jardel (UP) foi registrado como candidato a vice-governador na chapa encabeçada pela professora Adjany Simplício, do PSOL. O partido dela apoia oficialmente o ex-presidente Lula na disputa presidencial.

Lula (PT)

O PT lançou Lula como candidato à presidência com mais 8 partidos na coligação: PSB, PCdoB, PV, Solidariedade, PSOL, Rede, Agir e Avante. Lula terá ainda o apoio informal do PCO. Em convenção, o partido decidiu que fará campanha em favor do petista, embora rejeite a escolha de Geraldo Alckmin (PSB) como vice.

Na Paraíba, o partido coligou com o MDB, que terá a candidatura própria da senadora Simone Tebet à presidência. Em nome da aliança ao governo, o senador Veneziano (MDB) rejeitou o apoio a Tebet e tem feito campanha para o petista.

Outra divergência entre a chapa presidencial e a situação local persiste dentre os partidos federados com o PT: PCdoB e PV. Apesar de estarem formalmente registrados na chapa de Veneziano ao governo, lideranças locais vão apoiar informalmente João Azevêdo. O Agir, Avante e Solidariedade também estão com o governador.

Tem ainda PCO, que não vai apoiar as candidaturas próprias da coligação presidencial e lançou o comerciário Adriano Trajano ao governo. A chapa ainda não registrada no TRE-PB.

Pablo Marçal (PROS)

O Pros registrou a candidatura do influenciador Pablo Marçal à Presidência em meio a um racha interno da cúpula do partido. Após decisões judiciais, a nova direção da sigla definiu pela retirada do nome dele. No entanto, o registro ainda constava no site do TSE até a última atualização desta reportagem.

Sem Marçal na disputa, a nova executiva do Pros pretende pedir votos para Lula. Esse grupo foi registrado na chapa à reeleição de João Azevêdo. Há, no entanto, um outro grupo que se registrou na chapa de Pedro Cunha Lima, com a indicação do empresário André Amaral como 1º suplente de Efraim Filho ao Senado.

Simone Tebet

A senadora Simone Tebet (MS) montou uma coligação composta pelo seu partido, o MDB, além do Podemos, PSDB e Cidadania. A chapa tem a também senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP) como vice.

Na Paraíba, a emedebista não terá palanque nem do correligionário Veneziano, que apoia Lula, nem do tucano Pedro Cunha Lima, que já manifestou apoio a Ciro Gomes.

Soraya Thronicke

A senadora Soraya Thronicke (MS) é a candidata do União Brasil ao Palácio do Planalto. Em uma chapa pura, a legenda irá concorrer com o economista Marcos Cintra de vice. Na Paraíba, o partido está coligado com Pedro Cunha Lima e Efraim Filho não declarou quem deve apoiar à presidência, embora tenha sido alinhado com o presidente Jair Bolsonaro.

Vera Lúcia

O PSTU vai para a disputa com a operária Vera Lúcia. Sem aliados, o partido escolheu a indígena Raquel Tremembé como candidata a vice. Nos estados, o partido também não fechou alianças.

Na Paraíba, a legenda é a única situação de normalidade entre o alinhamento nacional e estadual. O partido terá a candidatura própria de Antônio Nascimento ao governo e não vai lançar nomes ao Senado. Todos os candidatos apoiam Vera Lúcia.

Continue Lendo

Paraíba

‘Custo do voto’ de candidatos ao Governo da Paraíba chega a R$ 14,29

Publicado

em

Por

Redação do Portal da Capital

O ‘custo do voto’ dos candidatos ao Governo da Paraíba no primeiro turno das Eleições 2022, varia de R$ 3,37 a R$ 14,29, segundo um balanço feito com base nos dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

O voto mais ‘caro’ foi o de Veneziano (MDB). Já o mais ‘barato’ foi o do Major Fábio (PRTB).

O cálculo considera o resultado da divisão das despesas contratadas informadas ao TSE, pelo número de votos recebidos, pelos respectivos candidatos, no primeiro turno.

Confira a lista;

Adjany Simplício (PSOL)

A candidata conquistou 9.567 votos no total, ela chegou a declarar R$59.587,00 em despesas pagas ao TSE.

O ‘custo’ dos votos obtidos pela candidata foi de R$ 6,22

Adriano Trajano (PCO)

O candidato não possui despesas declaradas a justiça eleitoral.

João Azevêdo (PSB)

O candidato que conseguiu uma vaga no segundo turno da eleição para governador do Estado, conquistou 863.174 votos no total. Ele declarou R$ 4.520.997,07 em despesas pagas ao TSE.

O ‘custo’ dos votos obtidos pelo candidato foi de R$ 5,23

Major Fábio (PRTB)

O candidato conquistou 2.455 votos no total e declarou R$ 8.297,00 em despesas pagas ao TSE.

O ‘custo’ dos votos obtidos pelo candidato foi de R$ 3,37

Antônio Nascimento (PSTU)

O candidato conquistou 978 votos no total e declarou R$ 3.516,00 em despesas pagas ao TSE.

O ‘custo’ dos votos obtidos pelo candidato foi de R$ 3,59

Nilvan Ferreira (PL)

O candidato não possui despesas declaradas a justiça eleitoral.

Pedro Cunha Lima (PSDB)

O candidato foi o segundo mais votado na deputa pelo governo do Estado, conseguindo uma vaga no segundo turno da disputa. Ele conseguiu 520.155 votos e declarou R$ 5.473.993,12 em despesas pagas.

O ‘custo’ dos votos obtidos pelo candidato foi de R$ 10,52

Veneziano (MDB)

O candidato conquistou 373.511 votos no total e declarou R$ 5.337.924,78 em despesas pagas ao TSE.

O ‘custo’ dos votos obtidos pelo candidato foi de R$ 14,29

Continue Lendo

Paraíba

Prefeitura planeja programação cultural comemorativa aos 158 anos de Campina Grande

Publicado

em

Por

Redação do Portal da Capital

Uma programação cultural está sendo planejada pela Prefeitura de Campina Grande, por meio da Secretaria de Cultura (Secult), em homenagem aos 158 anos de emancipação do Município. A partir desta sexta-feira, 7, até o próximo dia 27, apresentações musicais serão o atrativo para as visitas aos museus, Biblioteca Municipal, Centro Cultural Escola Parque Lourdes Ramalho e Estação Cidadania e Cultura.

As datas e ações foram apresentadas durante reunião, nesta terça-feira, 4, na Secult. Na próxima sexta-feira, 7, a Filarmônica Epitácio Pessoa fará um Passeio Musical pelas ruas centrais da cidade, a partir das 16h, saindo de sua sede, na rua Marques do Herval, seguindo pela Maciel Pinheiro, parando na frente da Biblioteca Municipal e seguindo para a Praça da Bandeira.

A secretária de Cultura, Giseli Sampaio, informou que as outras ações seguirão logo após a terça-feira, 11, data do aniversário. “Serão apresentações artísticas que estamos pensando com todo amor que temos por esta cidade. Campina sempre será correlacionada às artes, visto que é uma ‘capital cultural’ da Paraíba”, disse.

A programação segue na sexta-feira, 14, quando haverá a Gincana Cultural Serra da Borborema, na Estação Cidadania e Cultura, no bairro das Malvinas. Os museus Histórico e do Algodão estarão com ações a partir do sábado, 15, aproveitando as visitas escolares.

O Centro Cultural Escola Parque Lourdes Ramalho fará uma semana de atividades de arte educação, de 17 a 21.

Já na quinta-feira, 20, haverá exibição de um filme que relata a história da cidade, no Teatro Municipal Severino Cabral, a partir das 14h. O Instagram da Secult divulgará a programação completa ainda esta semana.

Continue Lendo

Paraíba

Durante anúncio do apoio do prefeito de Pilõezinhos a Pedro, Camila afirma que Brejo foi abandonado

Publicado

em

Por

Redação do Portal da Capital

A deputada estadual, Camila Toscano, natural de Guarabira, afirmou que o Brejo paraibano foi abandonado nos últimos anos. A afirmação da deputada aconteceu durante anúncio do prefeito de Pilõezinhos, Marcelo Matias, ao projeto de Pedro Cunha Lima ao Governo do Estado.

“Sempre acreditei na mudança! Nossa Paraíba pode muito mais, merece muito mais. Nosso Brejo, tão esquecido nos últimos anos pelo Governo, vai voltar ser olhado e respeitado! Com muita alegria recebemos hoje a adesão do nosso querido prefeito de Piloezinhos Marcelo, que vem somar ao time que tem coragem pra mudar! Muito feliz em participar desse momento e enxergar um futuro muito melhor para nosso Estado!!!”, destacou Camila.

Confira publicação

Continue Lendo