Nos acompanhe

Brasil

Maia tem 25 pedidos de impeachment de Temer para desengavetar

Publicado

em

Encerrada a votação da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer na Câmara, partidos do Centrão vão aumentar a pressão por uma reforma ministerial que os contemple. Esse grupo lembra que tramitam na Câmara 25 pedidos de impeachment contra o presidente Temer, que podem ser colocados em votação a qualquer momento pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), seja por vontade própria ou atendendo a exigência de partidos que o apoiam. O que significa dizer que o poder de fogo de Maia e seu grupo ainda é grande, é o que revela a Coluna do Estadão.

Na lista. O último pedido de impeachment protocolado na Câmara contra Michel Temer é 2 de agosto, e tem como base os áudios gravados pelo delator Joesley Batista. O requerimento é assinado pelo Centro Acadêmico Cândido de Oliveira.

Na mira. Rachado, o PSDB é o foco principal de insatisfação entre deputados do Centrão, que pedem a cabeça de Bruno Araújo (Cidades) e Antonio Imbassahy (Governo).

Sem opção. No Planalto, interlocutores de Temer alegam que Imbassahy está na cota pessoal do presidente. Se alguém tiver de sair, será Bruno Araújo. O PP, do líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PB), está de olho justamente na pasta das Cidades.

A conta chega. A dívida do governo com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, aumentou ontem. O deputado ajudou a conseguir quórum e votos pró-Temer. Passou o dia enviando WhatsApp para deputados do seu grupo e mostrando as mensagens para ministros.

Teve de tudo. Ministros licenciados para votar a favor de Temer dispararam telefonemas à procura do deputado Alexandre Baldy (PODE-GO), que sumiu da votação ontem. Baldy chegou somente na 2.ª chamada porque sua calça havia rasgado e ele se ausentou do plenário para não quebrar o decoro.

Umbigo. O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), reuniu votos a favor do presidente Michel Temer. A aliados no PMDB mineiro, Pimentel disse que é melhor para o PT a permanência de Temer no cargo. A impopularidade do peemedebista, diz, ajuda a campanha de Lula.

Protocolo. O Hospital do Exército, para onde Michel Temer foi levado ontem, passou a ser o local de atendimento dos presidentes da República em Brasília depois da polêmica que envolveu a morte de Tancredo Neves, atendido inicialmente no Hospital de Base.

Esquece! Os 12 votos a menos que o presidente Temer recebeu na 2.ª denúncia em relação à 1.ª podem ter como efeito colateral o enterro da reforma da Previdência. O presidente está sendo aconselhado a não enfrentar mais nenhum tema que lhe imponha uma agenda negativa.

Haja trabalho. O ministro Edson Fachin, do Supremo, já concluiu mais de 70 votos para casos que aguardam julgamento pelo plenário da Corte. O ministro, que é relator da Operação Lava Jato, terá atendido o pedido para reforçar a equipe do seu gabinete.

Continue Lendo

Brasil

Paraibano encabeça campanha contra permanência de Rodrigo Pacheco na presidência do Senado

Publicado

em

Por

Redação do Portal da Capital

A eleição para a presidência e outros cargos da Mesa Diretora do Senado está marcada para a tarde da próxima quarta-feira ( 1º/2) e a disputa entre o atual presidente, Rodrigo Pacheco, e o ex-ministro Rogério Marinho segue acirrada. Na Paraíba, o deputado Cabo Gilberto encabeçou campanha contra Pacheco.

“Faltam dois dias para a decisiva votação da presidência do Senado Federal e o futuro do Brasil, precisamos tirar o Pacheco do poder, pelo bem da população! Entre no http://comovotasenador.com.br e saiba os senadores quem ainda não declararam seu voto.”, cobrou em redes sociais o deputado.

Representante da ala bolsonarista no Congresso, Cabo Gilberto destacou importância de eleger Rogério Marinho. “Cobrem dos senadores! Precisamos eleger Rogério Marinho!”.

Confira publicação

Continue Lendo

Brasil

Ruy garante mobilização nacional contra projeto que prevê desregulamentação de 30 profissões

Publicado

em

Por

Redação do Portal da Capital

O deputado federal Ruy Carneiro garantiu nessa quarta-feira (25), uma grande mobilização nacional contra a aprovação do Projeto de Lei 3.081/2022, que prevê a a desregulamentação de mais de 30 profissões.

A iniciativa foi construída durante uma reunião realizada pelo Conselho Regional de Administração da Paraíba – CRA e contou com a participação de representantes de dezenas de Conselhos Profissionais e entidades de classe.

“Me comprometo com todos os conselhos de classe e garanto que vamos construir uma mobilização nacional para combater essa ideia absurda proposta pelo PL 3081/2022. Essa iniciativa não coloca apenas em risco as dezenas de categorias de trabalhadores, mas pode gerar uma infinidade de problemas graves para toda a sociedade”, argumentou Ruy.

O parlamentar citou algumas áreas que podem sofrer diretamente e de forma imediata, caso o projeto seja aprovado.

“Imagine o que pode acontecer, caso você deixe de exigir o diploma para quem atua nas áreas de fisioterapia, medicina veterinária, nutrição, administração, psicologia e tantas outras. Em algumas situações, isso coloca em risco até a vida das pessoas. Por isso, meu compromisso é confrontar esse absurdo e fortalecer ainda mais o suporte à todas essas categorias”, finalizou.

Para o vice-presidente do CRA-PB, André Coelho, o apoio do deputado Ruy Carneiro é fundamental para a defesa das prerrogativas dos profissionais.

“Está já é a 2º vez que tentam através de leis extinguirem os Conselhos de Classe. Sempre que precisamos, o deputado Ruy se uniu e liderou essa luta em prol dos Conselhos. Desta vez foram mais longe, tentaram também extinguir profissões.”, afirmou.

A matéria de autoria do deputado Tiago Mitraud está em tramitação na Câmara dos Deputados.

 

Continue Lendo

Brasil

Deputados aumentam auxílio-moradia em mais de 50%; valor chega a R$ 6 mil reais

Publicado

em

Por

Redação do Portal da Capital

Um ato assinado pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) nesta segunda-feira (23) e publicado hoje aumentou de R$ 4.253 para R$ 6.654 mil o valor pago aos parlamentares como auxílio-moradia.

O aumento foi de 56% e vale para a legislatura que inicia no mês de fevereiro, quando assumem os deputados eleitos em 2022.

Terão direito ao auxílio aqueles que não utilizam os imóveis funcionais oferecidos pela Câmara.

As informações foram publicadas primeiro pelo site Congresso em Foco.

Como é pago o auxílio-moradia

De acordo com o Congresso em Foco, o benefício pode ser pago em espécie, sujeito a desconto do imposto de renda com alíquota de 27,5%, ou por reembolso de despesa, mediante a apresentação de nota fiscal de hotel ou contrato de locação e recibo de aluguel. Neste caso, é isento de imposto de renda.

A Câmara tem 432 apartamentos funcionais. Atualmente, 364 estão em uso.

Corrida pela reeleição

O aumento do benefício ocorreu durante a corrida pela reeleição de Lira para a presidência da Casa. A escolha da nova mesa diretora está marcada para o dia 1º de fevereiro. O deputado já têm apoio de pelo menos 16 legendas, incluindo a federação PT, PV e PCdoB, do entorno do presidente Lula (PT).

Disputa contra o PSol

Único partido de esquerda a não declarar apoio a Lira, o PSol lançou o deputado federal eleito Chico Alencar (PSOL-RJ) para a disputa pelo comando da Câmara.

Ao anunciar a candidatura, no último domingo (22), Alencar defendeu que o Conselho de Ética apure o envolvimento de parlamentares nos atos golpistas de 8 de janeiro, quando apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro invadiram e depredaram o Congresso Nacional, o Palácio do Planalto e o Supremo Tribunal Federal (STF).

 

Continue Lendo