Nos acompanhe

Brasil

Cartão corporativo: veja os gastos de Lula, Dilma, Temer e Bolsonaro desde 2003

Publicado

em

Os quatro presidentes da República que governaram o Brasil gastaram R$ 114.889.297,48 no período entre 20013 e 2022. O detalhamento das despesas foi liberado pela Secretaria-Geral da Presidência na noite de quarta-feira, em atendimento a pedido de informações feito pela agência Fiquem Sabendo. Essas informações haviam ficado em sigilo durante o mandato do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). Esta matéria foi publicada em O Globo.

Veja abaixo os gastos de Lula e Jair Bolsonaro:

  • De acordo com os dados divulgados, Jair Bolsonaro gastou R$ 27.621.657,23 nos seus quatro anos de governo, em valores nominais. Corrigido, o montante chega a R$ 30.831.808,82 e significa uma despesa média anual de R$ 7.707.952,20.
  • Iniciando seu terceiro mandato, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi presidente anteriormente entre 2003 e 2010. Neste período de oito anos, o petista gastou R$ 43.988.509,05 em valores da época. Isso significa que, corrigido, o total passa para R$ 110.122.468,55. A média anual de gastos efetuados por Lula é de R$ 13.765.308,56.

Dilma e Temer

Compare abaixo os gastos dos ex-presidentes Dima Rousseff e Michel Temer:

  • Dilma Rousseff gastou R$ 30.217.186,68 em valores nominais com o cartão corporativo da presidência da República, entre 2011 e 2015. O GLOBO não considerou as despesas de 2016, pois a petista foi afastada do cargo no início de um processo de impeachment que terminou quatro meses depois. Corrigidos pela inflação, os gastos de Dilma chegam a R$ 40.349.341,69. O valor representa uma média anual de R$ 8.069.868,33.
  • Michel Temer (MDB) governou o Brasil após o impeachment de Dilma. Entre 2017 e 2018, ele gastou R$ 8.869.681,44 em valores nominais. O montante equivale a R$ 11.480.840,19 em valores corrigidos pela inflação do período.

A atualização monetária foi feita pelo GLOBO com base no IPCA, divulgado pelo IBGE, considerando o último mês de cada ano. Veja abaixo um detalhamento dos gastos de cada presidente desde 2003:

Veja os gastos de cada presidente com cartão corporativo:

Ano Presidente Valor nominal Valor corrigido
2022 Bolsonaro R$ 4.997.298,75 R$ 4.997.298,75
2021 Bolsonaro R$ 9.927.562,29 R$ 10.578.519,50
2020 Bolsonaro R$ 7.314.318,09 R$ 8.630.872,67
2019 Bolsonaro R$ 5.382.478,10 R$ 6.625.117,90
2018 Temer R$ 4.866.043,60 R$ 6.185.600,76
2017 Temer R$ 4.003.637,84 R$ 5.295.239,43
2016 Dilma/Temer R$ 4.192.262,08 R$ 5.700.181,02
2015 Dilma R$ 5.706.943,28 R$ 8.301.883,54
2014 Dilma R$ 9.305.096,62 R$ 14.954.180,77
2013 Dilma R$ 6.022.000,19 R$ 10.312.360,98
2012 Dilma R$ 4.598.570,59 R$ 8.329.534,39
2011 Dilma R$ 4.584.576,00 R$ 8.763.742,99
2010 Lula R$ 6.556.309,21 R$ 17.021.046,76
2009 Lula R$ 5.438.863,41 R$ 11.712.022,36
2008 Lula R$ 6.084.616,50 R$ 13.102.583,96
2007 Lula R$ 3.857.905,40 R$ 9.211.135,70
2006 Lula R$ 4.977.941,73 R$ 12.383.061,14
2005 Lula R$ 5.204.035,80 R$ 13.336.261,81
2004 Lula R$ 6.541.238,37 R$ 17.805.120,67
2003 Lula R$ 5.327.599,63 R$ 15.551.236,15

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) teve os maiores gastos com combustível da história do cartão corporativo usado pelos presidentes da República desde 2003 (quando os dados passaram a ser públicos). Os gastos de Bolsonaro com o cartão foram divulgados nesta quinta-feira, 12. Em apenas três transações, ele gastou 151 mil reais — os maiores gastos da lista sob a rubrica “combustível” — em dois postos localizados em São Francisco do Sul (SC) e Guarujá (SP), entre o final de dezembro de 2021 e o início de janeiro de 2022. Nesse período, o então presidente estava descansando na praia em meio a uma série de passeios de jet ski e de motocicleta.

Àquela época, o preço médio do litro da gasolina estava em 6,64 reais. Isso significa que Bolsonaro gastou o suficiente para comprar 22.664 litros de gasolina. Não é possível, no entanto, saber exatamente em que tipo de produto ou serviço esse dinheiro foi aplicado. Os recursos do cartão corporativo saem dos cofres públicos para serem utilizados pelo chefe do Executivo em situações especiais, como viagens e com pequenos gastos.

Bolsonaro foi para São Francisco do Sul com a família em 27 de dezembro de 2021 para passar o Ano Novo. No dia 28, passeou de jet ski e fez uma motociata com apoiadores. No dia 30, participou de um show de carros no parque Beto Carrero World, numa cidade próxima, e no dia 2 de janeiro de 2022 voltou a passear de jet ski nas praias da região. No dia 27 de dezembro, ele pagou com o cartão corporativo uma compra no valor de 34.935 reais no posto KA Brasil, localizado em Ubatuba, um bairro de São Francisco do Sul. Já no dia 2 de janeiro, ele voltou a fazer compra no mesmo estabelecimento, gastando nada menos que 71.407 reais.

À época, o então presidente recebeu críticas por passear tanto enquanto fortes chuvas na Bahia causavam dezenas de mortes.

Dias antes de ir ao litoral catarinense, Bolsonaro foi com a família para a praia de Guarujá, no litoral paulista, onde chegou em 17 de dezembro de 2021. No dia 19, fez passeio de jet ski. No dia 20, andou de moto pela região. E no dia seguinte, passeou novamente de jet ski, acompanhado pela filha caçula, Laura. Em 23 de dezembro daquele ano, pagou com o cartão corporativo uma compra de 44.826 reais no posto Tanser Comércio de Combustíveis Ltda., com endereço registrado no Jardim Santa Maria, em Guarujá.

No total, de 2019 a 2022, Bolsonaro gastou 27,6 milhões de reais no cartão corporativo, sendo 714 mil reais com combustíveis.

Continue Lendo

Brasil

Imprensa nacional relembra escândalo e critica presença de Santiago na posse de Cappelli

Publicado

em

Por

Redação do Portal da Capital

A imprensa nacional relembrou escândalo envolvendo o nome do deputado federal paraibano licenciado Wilson Santiago (Republicanos) e criticou a presença dele na cerimônia de posse de Ricardo Cappelli na Presidência da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).

Na matéria publicada pela Folha, nesta sexta-feira (23/02), o escândalo do desvio de verbas públicas de obras contra a seca registrada no Sertão da Paraíba, e o suposto envolvimento de Santiago, foram lembrados. Bem como as articulações para nunca ter sido julgado de fato.

Confira a íntegra da matéria publicada no texto logo baixo ou clicando aqui:

Envolvido em escândalo de desvio de verba contra a seca comparece a posse de Cappelli

Envolvido em escândalo de desvio de verbas públicas de obras contra a seca no sertão da Paraíba, o secretário de Representação Institucional do governo paraibano, Wilson Santiago (Republicanos), participou da posse de Ricardo Cappelli como presidente da ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial).

Santiago, que se licenciou em janeiro como deputado federal para assumir o cargo no governo estadual, chegou ao Ministério do Planejamento quando o evento já havia começado e ficou até o último discurso, feito pelo vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB).

Em 2019, Santiago teve o mandato suspenso por ordem do STF (Supremo Tribunal Federal) em meio a investigações de desvio de verbas públicas de obras contra a seca no sertão da Paraíba.

A representação ficou parada por mais de dois anos na Mesa Diretora da Casa até que o processo fosse aberto. Até o final da legislatura passada, o parecer preliminar, elaborado pelo deputado Alexandre Leite (União Brasil-SP), não foi apreciado pelo colegiado.

Mesmo após o escândalo, Santiago postou vídeo pedindo que o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) liberasse verbas para trecho de uma obra em que ele é acusado de receber R$ 1,2 milhão em propina.

Continue Lendo

Brasil

Daniella Ribeiro reforça pauta em defesa das mulheres e pessoas com deficiência no orçamento de 2024

Publicado

em

Por

Redação do Portal da Capital

A senadora e presidente da Comissão Mista do Orçamento (CMO) do Senado Federal, Daniella Ribeiro (PSD), se reuniu, nesta quinta-feira (22/02), com o ministro da Secretaria de Relações Institucionais, Alexandre Padilha.

O encontro serviu para alinhar a execução orçamentária do ano vigente de 2024.

Na retomada dos trabalhos do Congresso Nacional, Daniella aproveitou para reforçar a importância de garantir políticas públicas voltadas à defesa das mulheres, pessoas com deficiência e portadores do Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Em publicação nas redes sociais, a parlamentar deu mais detalhes sobre as articulações da entrega das emendas. “Em março, nos reuniremos novamente para dar continuidade sobre os debates sobre o orçamento e execução de emendas, com foco nos programas prioritários”, concluiu.

Confira:

Continue Lendo

Brasil

Ruy propõe criação de cartilha informativa sobre Transtorno do Espectro Autista na rede educacional

Publicado

em

Por

Redação do Portal da Capital

O deputado federal paraibano, Ruy Carneiro (PSC), protocolou na Câmara dos Deputados, uma indicação ao Ministério da Educação para propor a criação de uma cartilha sobre a conscientização do Transtorno do Espectro Autista (TEA) voltada para a rede educacional do país.

A iniciativa do parlamentar partiu após o apelo da população em promover mais inclusão e respeito ao público, principalmente durante a fase de ensino nas escolas.

“Apesar da significativa representatividade dessa parcela da população, observa-se a escassez de políticas públicas efetivas direcionadas à inclusão desta parcela da sociedade. A ausência de medidas concretas pode comprometer a qualidade de vida e a plena participação desses indivíduos na sociedade”, justificou o deputado na matéria.

A Câmara deverá enviar a indicação da cartilha ao Ministério da Educação nos próximos dias. Após o recebimento, o Governo Federal tem o prazo de 45 dias para responder sobre a demanda.

Confira:

Continue Lendo