Nos acompanhe

Negócios

MRV&CO estima retorno econômico de mais de R$30 milhões para sociedade com energia fotovoltaica

Publicado

em

Com o objetivo de contribuir para a diversificação da matriz energética brasileira, a MRV&CO, grupo composto por MRV, Luggo, Sensia, Urba e Resia, vem investindo em modelos energéticos mais sustentáveis, colaborando para o desenvolvimento econômico e socioambiental nas regiões onde atua, mediante a geração de energia solar. E para mensurar os reais impactos dessas iniciativas, a empresa realizou uma análise monetizada dos retornos econômicos e socioambientais gerados não só para seus empreendimentos, mas também para projetos sociais e a população local. Nos próximos 25 anos, estima-se uma economia para os condôminos de mais de R$20 milhões e a redução de emissão de gases equivalente a 30 mil toneladas de CO2. Já em ações sociais conduzidos pelo Grupo, o estudo prevê um retorno de mais de R$12 milhões, com a implementação das usinas fotovoltaicas.

Em projeto nomeado ‘MRV Solar’, desde 2017 a empresa passou a implantar sistemas de geração de energia fotovoltaica em seus empreendimentos e, atualmente, 70% dos lançamentos da MRV já são realizados com usinas fotovoltaicas. O Grupo conta com duas usinas próprias de geração de energia limpa: a UFV Arquelau, usina fotovoltaica da MRV localizada em Uberaba (MG), que foi ligada no final de 2020 e tem potencial de geração anual de energia de 1.125 MWh, e a usina na Bahia, inaugurada em abril de 2022, com um potencial de geração anual de 489,7 MWh.

Segundo Raphael Lafetá, Diretor de Relacionamento Institucional e Sustentabilidade da empresa, a MRV&CO possui metas ambiciosas em relação às mudanças climáticas, com iniciativas em seus empreendimentos voltadas à redução das emissões de Gases de Efeito Estufa. “A MRV&CO é pioneira, no setor de construção civil, nesse movimento, e tem o papel de influenciar positivamente, demonstrando que as práticas de ESG não são apenas um compromisso, mas uma necessidade para o desenvolvimento sustentável do setor. Na cadeia da construção civil, todos ganham: a empresa, os condôminos e a sociedade em geral.

Retorno econômico

O estudo se baseia em três eixos metodológicos de avaliação: (1) Matriz de Materialidade estratégica aos ODS, (2) Teoria da Mudança e (3) Retorno Social do Investimento – SROI. Essa avaliação permite que a empresa compreenda a efetividade das transformações que promove. A Matriz de Materialidade estratégica aos ODS é uma metodologia que apoia as organizações na identificação e priorização de questões relevantes, que tangenciam os eixos ambientais, sociais e de governança.

A Teoria da Mudança é uma abordagem analítica e estratégica que é utilizada para compreender e planejar processos de transformações desejados. Já o SROI é uma ferramenta que mensura as mudanças segundo as pessoas ou as organizações que delas experimentam. Ou seja, “monetiza” os impactos, segundo o modelo lógico de como as mudanças são geradas para as partes envolvidas.

Como retorno social do investimento, a MRV prevê que os condôminos recebam R$20.457.590,25 em desconto na taxa de condomínio em decorrência da economia de energia nos próximos 25 anos. Por deixarem de pagar parte significativa das despesas relacionadas à conta de energia em sua taxa de condomínio devido à implantação da usina fotovoltaica, a construtora projeta uma economia de R$134 milhões em recursos disponíveis para alocação em outras atividades pessoais e familiares e uma valorização média de 4,5% dos imóveis, impactando uma média de 39.407 famílias com a economia gerada.

Já para a população local, a projeção para os próximos 25 anos é de R$175.454,18 em renda gerada, considerando a renda mensal de profissionais capacitados na fase de construção e manutenção do sistema fotovoltaico, além dos R$889.278,63 em redução do custo social das emissões de CO2, considerando o custo social de R$ 739 (Indicador desenvolvido pelo Environmental Priority Strategies EPS – Instituto Sueco de Pesquisa Ambiental da IVL) por tonelada emitida. Com isso, a MRV calcula 30.433 toneladas de CO2 evitadas – equivalente a 55.918 árvores plantadas, além de R$22,2 milhões de custo social das emissões evitado e R$3,2 milhões de renda gerada com empregos diretos.  

Projetos Sociais

A MRV&CO tem parceria com a Cidade dos Meninos São Vicente de Paulo, que é uma entidade que assiste 4 mil crianças e adolescentes carentes da Região Metropolitana de Belo Horizonte. Os beneficiários têm acesso à formação educacional, cursos de artes, capacitações profissionalizantes e alimentação, além de ensinamentos sobre ética, moral e cívica. Com a implementação de usinas fotovoltaicas dentro da instituição, a MRV prevê um retorno de mais de R$11 milhões, em disponibilidade de recursos para investimento nas atividades da organização, possibilitando que 2.961 novas crianças, em média, possam ser atendidas com a economia gerada nos próximos 25 anos.

A companhia ainda projeta R$749.699 em disponibilidade de recursos para investimento em alimentação e material para os atendidos, aumentado para 5.140 a média de novas crianças a serem atendidas com a economia alcançada. A construtora ainda espera gerar R$4,2 milhões de renda com empregos diretos e R$1,9 milhões de custo social das emissões evitadas.

Além disso, a MRV investe em programas sociais e ambientais, disponibilizando a sua estrutura empresarial e capacidade gerencial para desenvolver projetos que geram impacto positivo e contribuem com a construção de um legado próspero para as futuras gerações. Dentre eles, destaca-se o Projeto Bacias Brasil para Conservar Águas, idealizado pela Organização Humanas Brasil, que implementou 60 sistemas agroflorestais em duas comunidades quilombolas do Município de Muquém do São Francisco, na bacia do Rio São Francisco na Bahia. O projeto visou colaborar para a revitalização ambiental e agricultura familiar, aumentando a disponibilidade de água em 16 hectares locais, além de promover ações de educação ambiental à população das comunidades, onde residem 60 famílias.

Ao projetar o impacto que a implementação do projeto de Agroreflorestamento nos próximos 25 anos, a MRV prevê R$ 1.729.188 de economia média das famílias, R$ 128.367 em potencial receita com a venda de crédito de carbono de florestas reflorestadas e preservadas, além de um potencial aumento de renda média familiar da região de 237%. Serão, aproximadamente, 19,8 hectares de floresta reflorestada, R$ 579,9 mil de custo social das emissões evitado e menos 783,7 toneladas de CO2 na atmosfera.

Continue Lendo

Negócios

Restaurantes participantes da Paraíba Restaurant Week registram crescimento de até 40% nas vendas

Publicado

em

Por

Redação do Portal da Capital

Os restaurantes participantes da sexta edição da Paraíba Restaurant Week registraram um crescimento de até 40% nas vendas em comparação ao período pré-festival. Os números, que consideram apenas as duas primeiras semanas de evento, têm potencial de crescimento ainda maior: a edição 2024 do festival gastronômico segue em 45 restaurantes de João Pessoa até o dia 21 de abril.

De acordo com Célio Catalan, gestor do Moman Cozinha Contemporânea, o festival ajuda a democratizar o acesso da alta gastronomia a pessoas que não costumam frequentar os restaurantes da capital.

“Quem nos visita durante a Restaurant Week fica sabendo que temos opções mais acessíveis”, explica Célio. “É como abrir as portas da nossa casa para novas oportunidades de boas experiências”, acrescenta.

Para Marina Sá, organizadora do festival, além de estimular o acesso à alta gastronomia para moradores e turistas, o festival ajuda a movimentar a economia gastronômica da cidade.

“Especialmente neste ano, estamos realizando a Restaurant Week em um período de baixo movimento para os restaurantes, atendendo a pedidos do setor”, comenta Marina. “Os meses de março e abril geralmente têm menor movimento nos estabelecimentos ao longo do ano, então o festival vem como uma ferramenta para aquecer o setor e a economia da cidade”, diz.

Festival oferece menus completos a partir de R$ 62,90

Na Restaurant Week, festival internacional criado em Nova Iorque que se transformou no maior evento da área no Brasil, os restaurantes participantes desenvolvem menus especiais a preços super atrativos, abrindo espaço para os talentos da culinária local e democratizando o acesso à alta gastronomia.

Como no ano passado, os restaurantes participantes vão oferecer dois menus para o público: o Menu Week, com almoço a R$ 62,90 e jantar a R$ 69,90; e o Menu Plus, cardápio reservado para restaurantes de ticket médio mais alto, em que o almoço custa R$ 79,90 e o jantar, R$ 89,90. Ambas as experiências incluem entrada, prato principal e sobremesa.

Além de promover o acesso à alta gastronomia por preços atraentes, a Restaurant Week mais uma vez retorna com ações de impacto social que já são marca registrada do festival. Nesta edição, o evento vai repetir a parceria de sucesso do ano passado e beneficiar a Casa da Criança com Câncer, organização fundada em 1997 que oferece suporte a crianças do interior do estado que estão em tratamento oncológico.

Continue Lendo

Negócios

Exposição imersiva “O Auto de Ariano, o Realista Esperançoso” estreia neste domingo, no Luzzco

Publicado

em

Por

Redação do Portal da Capital

Experiência única que mergulha nos universos artístico e humano de Ariano Suassuna, um dos maiores ícones da literatura brasileira, a exposição imersiva “O Auto de Ariano, o Realista Esperançoso”, estreia neste domingo (14/04), no Luzzco, espaço de arte e cultura na Paraíba.

A exposição estará aberta ao público de quarta a domingo, das 14h às 21h, com duração de cada sessão de cerca de uma hora e maia de duração. Serão seis por dia. Os ingressos podem ser adquiridos por R$ 70 (inteira) e R$ 35 (meia) no site https://outgo.com.br/luzzco ou na bilheteria física.

Co-criada em participação com o neto mais velho de Ariano, João Suassuna, a exposição oferece aos visitantes a oportunidade de explorar as diversas facetas da vida e obra de Ariano de maneira inovadora e sensorial. Com uma combinação de tecnologia, cenografia e elementos físicos, os participantes serão transportados para o universo criativo e emocional do autor, poeta e dramaturgo.

Os participantes vão poder  explorar os diferentes aspectos da vida de Ariano Suassuna em uma viagem pelas raízes da cultura popular brasileira e pela vida e obra de um dos maiores intelectuais do país. A exposição está dividida em cinco atos imersivos, além da introdução. Ato I: Amor pela poesia; Ato II: Amor pela sua aldeia; Ato III: Amor da vida; Ato IV: Amor que contagia e Ato V: Amor imorrível.

Sobre o Luzzco — O primeiro espaço imersivo de arte, cultura e inovação da Paraíba vai além das molduras convencionais e proporciona uma experiência única e envolvente para toda a família. O Luzzco utiliza a mesma tecnologia das maiores exposições imersivas do mundo e é equipado com recursos audiovisuais que permitem a criação de obras que se modificam de acordo com o movimento, o som e o toque das pessoas. No local, as paredes, o chão e o público se tornam parte integrante das obras. O Luzzco fica localizado na Rua Severino Garcia Galvão, 161, no Altiplano, em João Pessoa. O horário de funcionamento é de quarta a domingo, das 14h às 21h. Para saber mais e informações sobre ingressos, o telefone é o (83) 98858-0015 e o Instagram é @luzzco.

Confira imagens:

Continue Lendo

Negócios

Setor de serviços na Paraíba cresce 11,4% e registra 2ª maior expansão do País, revela IBGE

Publicado

em

Por

Redação do Portal da Capital

Com taxa de expansão acima de dois dígitos, o volume do setor de serviços na Paraíba apresentou o segundo maior crescimento do País em fevereiro deste ano, segundo dados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), que foram divulgados, nesta sexta-feira (12), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A Paraíba registrou alta de 11,4% no faturamento do setor em fevereiro sobre o mesmo mês do ano passado.

A Paraíba (11,4%) e o Acre (19,5%) – que liderou o indicador em fevereiro – foram os únicos que apresentaram expansão acima de dois dígitos, enquanto o país cresceu 2,5%. No acumulado do primeiro bimestre, a Paraíba também acumula alta de dois dígitos (10%), segunda maior taxa também no indicador ao lado do Amazonas (10%), liderado pelo Acre (21,8%). A média do bimestre do País é de 3,3%.

PARAÍBA LIDERA NO NORDESTE – O crescimento da Paraíba no setor de serviços destoa entre os nove Estados na Região Nordeste, na comparação de fevereiro frente ao mesmo mês do ano passado. No ranking da Região, a Paraíba com 11,4%, lidera o índice. É seguido bem atrás pelo Piauí (6,1%). Com taxas mais modestas, aparecem os Estados de Sergipe (3,5%), Maranhão (3,3%) e Pernambuco (2,1%), enquanto Bahia e Ceará empatam com apenas 1,6%. Já os estados do Rio Grande do Norte (-0,3%) e Alagoas (-0,2%) foram os únicos que recuaram.

Segundo o IBGE, o avanço daquele mês foi acompanhado por quatro das cinco atividades e contou ainda com crescimento em 59,6% dos 166 tipos de serviços investigados. Entre os setores em crescimento de fevereiro frente ao ano passado, o de informação e comunicação exerceu o principal impacto positivo, impulsionado, principalmente, pelo aumento da receita em telecomunicações; desenvolvimento e licenciamento de softwares; suporte técnico, manutenção e outros serviços em tecnologia da informação; TV aberta; e edição integrada à impressão de livros. Os demais avanços vieram dos profissionais, administrativos e complementares; dos prestados às famílias; e dos outros serviços.

A PESQUISA – A Pesquisa Mensal de Serviços (PMS)  produz indicadores que permitem acompanhar o comportamento conjuntural do setor de serviços do país e dos Estados, investigando a receita bruta de serviços nas empresas formalmente constituídas, com 20 ou mais pessoas ocupadas, que desempenham como principal atividade um serviço não financeiro, mas excluídas as áreas de saúde e educação. Ao lado da administração pública, os setores de serviços e de comércio têm os maiores pesos na composição do PIB do País e dos Estados.

Continue Lendo